Voz da Alma
Poema: Euclides Cavaco
Intérprete: Mário Jorge



Quão loucos são os poetas
Há quem diga vulgarmente
Por verem como os profetas
Os transes que a alma sente

Penetram na Natureza
Vagueiam pelo Universo
Dão alegria à tristeza
E da prosa fazem verso

Ao desaire cantam palma
E dão brilho à noite escura
Na guerra tréguas e calma.

Do ódio geram ternura
Poesia é a voz da alma
E nada tem de loucura

Euclides Cavaco