Trovas ao Luar

Poema de Euclides Cavaco

Guitarras: Velha Guarda Coimbra

 


Quando em Coimbra há luar
E o luar bate na rua
Há estudantes a cantar 
As trovas à luz da Lua...

No trovar dum estudante
Há sempre uma mocidade
Que passa mas por constante
Deixa marcas de saudade...

E trova ao vento que passa
Liras que da alma emana
Pr'as vezes cair em graça
Aos olhos duma tricana.

E quando o Luar fenece
Às ruas volta o sossego
Coimbra bela amanhece
Nas margens do rio Mondego!...


Euclides Cavaco