T E R N U R A

Poema e voz de Euclides Cavaco

 


Ternura , há na poesia
Que inspirou este tema
Ao rimar em sintonia
Os versos deste poema.

Ternura, há no amor
Quando é amor de verdade
Que dá prazer aos momentos
De maior intimidade.

Ternura, há no instante
Que emana do coração
E num olhar cativante
Transforma amor em paixão.

Ternura, há na alegria
Quando é compartilhada
E eterniza os instantes
De qualquer pequeno nada.

Ternura, há na inocência
Das frases duma criança
Que na sua transparência
Enchem o mundo de esperança.

Ternura, há nas palavras
Quando ditas com candura
E na magia dum beijo
Quando dado com ternura.

Ternura, há nas flores
Dum colorido jardim
E no perfume suave
Exalado do jasmim.

Ternura, há na luz do dia
Dada pelo Sol brilhante
Há ternura na harmonia
Da Lua tão fascinante.

Ternura, há no conjunto
Das forças da Natureza
E no Celeste Universo
Com toda a sua grandeza.

Ternura, há no adeus
Quando se diz com ternura
A alguém muito querido
Quando desce à sepultura.

Ternura, há no sorrir
Que tange simplicidade
Ternura há no carinho
E há ternura na amizade.

Ternura, há na saudade
Que a nossa alma emoldura
No coração de quem ama
Há sempre muita ternura !…

Autor: Euclides Cavaco