Rua da Amendoeira 
Poema e voz de Euclides Cavaco



Eu cresci na Amendoeira
Essa rua hospitaleira
No bairro da Mouraria
E tive por circunstância
Logo desde a minha infância
O FADO por companhia.

Já ele morava ali 
Na rua, quando eu nasci 
Naquele bairro alfacinha
Era humilde como eu
Da mesma forma cresceu
E como eu, nada tinha.

Nossa era apenas a rua
Onde à noite a luz da Lua
Trazia brilho e virtude
Talvez por graça divina
De estar mesmo ali à esquina
A Senhora da Saúde.

Quem passa p'la Mouraria
Respira inda a nostalgia
Do seu invulgar passado
E a rua da Amendoeira
Sempre suave e fagueira
Toda ela cheira a FADO !...

Euclides Cavaco