Preito a Aveiro
Poema e voz de Euclides Cavaco



O nobre burgo de Aveiro
Nasceu ainda primeiro
Que a nacionalidade
Hoje sumptuosa ostenta
Duzentos e cinquenta
Anos, erguida a cidade.

Aveiro nasceu talvez
Cedo no século dez
Aqui num velho estuário
Tem sinais inda presentes
Das salinas existentes
Com o nome de "Alavário".

No século treze eleita
A vila amena e perfeita
P'la sua prosperidade
Mil sete e cinquenta e nove
O Rei Dom José promove
Aveiro a nobre cidade.

Nutro por Aveiro estima
E enalteço aqui em rima
Um mosaico onde emolduro
Esta cidade moderna
Firme e de pé, quase eterna
Desafiando o futuro !...

Euclides Cavaco