Memórias do Tempo


Neste pedaço de história
Que agora em verso aqui cito
Trago bem viva a memória
Dos tempos do pirolito.

Bebida mais popular
Entre todos conhecida
Na festa ou qualquer lugar
Era sempre a preferida.

A garrafa estrangulada
No gargalo em vidro tinha
Numa borracha apertada
Como rolha uma bolinha.

Quando a garrafa partia
A bolinha era um brinde
Que prós mais novos servia
Para jogar ao berlinde.

Retirada com o dedo
Da redonda borrachinha
Foi das crianças brinquedo
Tal fascinante bolinha.

Que bom seria voltar
A este tempo bonito
Para poder sem sonhar
Beber mais um pirolito!…

Euclides CavacoHome