Margens da Vida

Poema e voz de Euclides Cavaco

A vida... É como um rio
Onde em frágil desafio 
Navegamos todos nós
E logo desde a nascente 
Enfrentamos a corrente 
Navegando até à foz. 

Alguns têm à partida
Logo a rota protegida
Em fortes embarcações
Outros em débeis barquinhos
Têm de remar sozinhos
Com muitas tribulações.

Por destino ou maus presságios
Há os que têm naufrágios
E ficam no rio perdidos
Outros conseguem nadar
Sem se deixar naufragar
Nem se darem por vencidos.

Contra a fúria da corrente
Há que remar persistente
Sempre em constante corrida
Só lutando com coragem
Pode chegar salvo à margem 
Deste rio chamado vida !...

Euclides Cavaco