Mal de Inveja

 

 

A inveja é malquerença,
Que não faz nenhum sentido,
É quase como a doença,
Sem remédio conhecido.

É a arma do ignorante,
Que não consegue vencer
E cobiça a cada instante,
O que pretendia ser…

Quase sempre os invejosos,
São destros a inventar,
Matreiros e ardilosos,
Para alguém prejudicar.

Se a inveja fosse tinha,
Era levado da breca,
Porque havia aí gentinha,
Que há muito era careca.

Se a pudessem musicar,
O mundo era sinfonia,
Com tanta gente a tocar,
Essa iníqua melodia…

Que morra bem longe quem,
Sofre desta enfermidade,
Que afecta com desdém,
A nossa sociedade !…

Que os nocivos invejosos,
Sempre falsos e indiscretos,
P'los seus instintos maldosos,
Nunca cheguem a ter netos!…


Autor: Euclides Cavaco