Madrugada da Vida

Poema e voz de : Euclides Cavaco

 

Saudades do meu berço, hoje lembrança
Da doce infância, desse tempo então sagrado
Em que tinha minha mãe, eterna esperança 
A embalar com ternura o
filho amado !...

Ensinou-me com afago e docemente
O seu saber, num universo cristalino
Puras lições que ainda leio no presente
Oriundas do meu berço matutino !…

Aprendi nessa candura em sonho ledo
A sorrir ao que a vida tem de belo 
Arrostando o iníquo mundo sem ter medo.

Recordo agora saudoso e em segredo
Meu leito de criança mui singelo
Que minha alma chorou...Perder tão cedo !…

Autor: Euclides Cavaco