Liberdade

Poema e voz de Euclides Cavaco

Nasci quase em segredo amedrontada
Sou filha dum Abril e da aventura
Comigo iniciou nova alvorada
Que pôs fim à mais longa ditadura.

Fui trazida pela mão de alguns bravos
Sem sangue esta revolta foi capaz
Trocando as suas armas pelos cravos
Em sinal que este gesto era de paz.

Meu grito chamado Vila Morena
Trazia no peito fraternidade
E a promessa de liberdade plena.

Instaurei o direito à igualdade
Sou vossa, estou aqui, valeu a pena
Nasci p'ra todos vós...Sou Liberdade!...

Euclides Cavaco