Insigne Marceneiro

Poema e voz de Euclides Cavaco

O Alfredo Marceneiro
Ocupa lugar cimeiro
Na história do nosso fado
Seu notável contributo
Honra e dá estatuto
Ao património legado !...

Nobre fadista e autor
Compôs com todo o rigor
Fado... Que lhe ia na alma 
De Lisboa insigne filho
Deu à noite vida e brilho
Com sua voz rouca e calma.

Despertava as madrugadas
Dessas noites bem passadas
Num estilo por si criado
Qual peculiar boné
Um cigarro e cachené
Davam carisma ao seu fado.

Jamais será cotejado
Este gigante do fado
Que dele fez culto ledo
P'la sua garbosidade
Lembraremos com saudade
Para sempre o "Ti Alfredo"!...

Euclides Cavaco