Imponentes Caravelas
Poema e voz de Euclides Cavaco

Portugal de Norte a Sul
Banhado p’lo mar azul
Com praias finas e belas
Teve heróicos marinheiros
Egrégios aventureiros
Do tempo das caravelas.

Caravelas portuguesas
Foram colossais proezas
Do sonho do nosso Infante
Que partiram deste mar
Para mais longe levar
A fé ao mundo distante.

Lá foram as caravelas
Guiadas pelas estrelas
Descobrindo um mundo novo
Escrevendo a nossa história
A letras de oiro e de glória
Que é todo o padrão dum Povo.

Nas velas a cruz de Cristo
Sulcando o mar imprevisto
Nunca dantes navegado
Glórias das caravelas
Imutáveis sentinelas
Da nobre Pátria do Fado !...

Euclides Cavaco