Hipocrisia

Poema e voz de Euclides Cavaco

Há quem viva de aparências
Decerto para esconder
As malogradas tendências
Do que pretendiam ser.

Alguns vestem de cordeiro
A pele, mas sendo lobo
Usam ardil matreiro
Só para enganar o povo.

Outros são uns fingidores
Vestidos de fantasia
Como eternos impostores
Vivendo em hipocrisia.

Vão mantendo a pretensão
Com cinismo e com vaidade
Fingem ser o que não são
Com grande sagacidade.

As grandezas aparentes
Que não passam de fachadas
São o produto das mentes
Vazias e mal formadas.

Nesse teatro de enganos
Os farsantes mascarados
Têm ao cair dos panos
Seus palcos desmoronados!...

Euclides Cavaco