Galo de Barcelos

Poema e voz de Euclides Cavaco

 

Das lendas da nossa Terra
A que mais enigma encerra
É o galo de Barcelos
Cuja forma artesanal
É símbolo de Portugal
Em todos os paralelos.

Conta a lenda bem antiga
Que se gerou grande intriga
Em todo este povoado
Por nunca se encontrar
O autor para acusar
Dum crime ali praticado.

Diz a lenda que um dia
Por ali se dirigia
A Santiago um romeiro
Que p'lo crime foi julgado
E à forca foi condenado
Só porque era forasteiro.

Foi então o juiz ver
Que um galo estava a comer
P'ra a inocência provar
Diz bem alto a toda a gente
Se eu estiver inocente
Este galo há-de cantar.

Riem-se todos na mesa
E ele a Santiago reza
Para que tenha clemência.
Logo o galo se levanta
E batendo as asas canta
Provando a sua inocência!…

Autor: Euclides Cavaco