INGRATIDÃO

 

Borboleta voadora

És do espaço senhora

Às vezes com liberdade

Mas como és um ser vivente

Podes também estar doente

A vida é fragilidade.

 

Sem força e desfalecida

Doente e quase sem vida

Um amigo te encontrou

Que ao ver-te naquele estado

Te pegou e com cuidado

Com carinho te tratou.

 

Hoje nesta vela acesa

Feliz como uma princesa

Ali  suave poisaste.

Devido à solicitude

Tu voltaste a ter saúde

Mas para longe voaste.

 

Aquele bom coração

Que te deu toda a atenção

Fragilizado está triste...

Porque ao teres recuparado

Nem um gesto de obrigado

Sem dizer adeus partiste.

 

Euclides Cavaco