Fado e Saudade

Poema e voz de Euclides Cavaco

 

 

Anda escondida a saudade
No bulício da cidade
Perdida numa viela
Por ter com ela vivido
Arrojado e destemido
Eu fui à procura dela...

Fui até à Madragoa
Esse bairro de Lisboa
Onde por vezes se esconde
Viram-na por lá passar
Mas partiu sem demorar
Ninguém sabe para onde...

Procurei na Mouraria
Onde a viram certo dia
A chorar entristecida
Fiquei dela com mais dó
Não fosse encontrá-la só
Em qualquer beco perdida.

Corri Alfama inteirinha
Onde a lenda diz que tinha
Vivido em tempos de outrora
Mas dela ninguém sabia
Apenas rumores havia
De já se ter ido embora.

Prò Bairro Alto a correr
Segui sem tempo perder
Mas já exausto e cansado
Lá estava então a saudade
Na maior intimidade
De mãos dadas com o fado !…

Euclides Cavaco