1/9

Encantos de Coimbra

Poema e voz de Euclides Cavaco


Coimbra do rio Mondego
Que ameno a vem cortejar
Onde na noite em sossego
Há baladas ao luar.

Coimbra dos estudantes
E de tricanas bonitas
E dos festejos brilhantes
Que são a queima das fitas.

Coimbra de tradições
Onde o luto duma capa
Faz despertar emoções
Do Choupal até à Lapa.

A velha Universidade
Que parece quase eterna
Já tem séculos de idade
Sempre atual e moderna.

Aquela torre velhinha
Altiva de noite e dia
É de Coimbra qual rainha
E sua simbologia.

Coimbra és cheia de encantos
Nos contornos mais diversos
Teus predicados são tantos
Que excedem meus simples versos.


Euclides Cavaco