Culto à Mãe

Poema e voz de Euclides Cavaco



Minha mãe eu te venero 
Com um afecto sentido
Neste meu poema quero
Prestar-te o culto devido !...

Por não te poder pagar
O teu desmedido amor
Com motivo irei ficar
A vida inteira em favor.

Neste culto que te faço
Com ternura sem ter fim
Guardei mãezinha um espaço
Pra ficares junto de mim.

No coração fiz morada
Pra lá morar minha mãe
Só de amor edificada
Onde vou morar também.

E nesta mansão da vida
Sonho que a habites comigo
Entre nós dois compartida
Dando ao nosso afecto abrigo.

Nessa aurora transparente
Num véu de felicidade
Mãezinha estarás presente
Por toda a eternidade !...

Euclides Cavaco