O CONVITE
Pintura a óleo de: Adelino Carranca
Poema de: Euclides Cavaco


Uma gaivota altaneira
Neste poste veio pousar
Ficando ali prazenteira
Perto das ondas do mar.

Cena que tanto nos diz
E tanta beleza encerra
Poisar a gaivota quis
Aonde o mar beija a terra.

Ainda há pouco mostrando
Agilidade a voar
Agora aqui, convidando
Um passeio à beira mar.

Gaivota quão subtil
É este teu semblante
Ao renderes neste perfil
Um convite ao visitante.

Qual altiva sentinela
Que espera a nossa chegada
Originou esta tela
Pelo artista pintada.

Digno de contemplação
Quadro quase divino
Talentosa inspiração
Do seu pintor Adelino!...

Euclides Cavaco