1/6

Condução

Sátira

Conduzir em Portugal,
É como ter passaporte,
P'ra sem processo legal,
Entrar no país da morte.

Conduz-se em sinistro jeito,
Sempre em forma acelerada,
Sem o mínimo respeito,
Pelo código da Estrada.

Velocidades ingentes,
De pedal sempre ao fundo,
Faz-nos ser em acidentes,
Quase os primeiros do mundo.

Quanta manobra perigosa,
Por vezes na condução,
Termina em forma horrorosa,
À pancada ou discussão.

As "bombas" p'ra ultrapassar,
É de gesto ou palavrão,
Ou dão luzes p'ra avisar,
Um eminente empurrão.

Passam, mas ficam zangados,
Se afrouxam por acaso,
Atrás dos carros pesados,
Lentos e fora do prazo.

Onde está a cortesia?
Que fica por demonstrar,
Dos que por mera mania,
Só têm pressa a guiar.

Tome este conselho a sério,
Deixe de conduzir mal,
P'ra não fazer cemitério,
Das estradas de Portugal!…


Euclides Cavaco