Coimbra...Cidade Eterna

Poema e voz de Euclides Cavaco



Ó Coimbra...Cidade Eterna
Da velha universidade
E poetas que marcaram
O Penedo da Saudade.

Ó Coimbra das tradições
Onde o luto duma capa
Faz deslumbrar multidões
Do Choupal até à Lapa.

Ó!…Coimbra dos estudantes
E de tricanas formosas
Onde uma Santa Rainha
Fez o milagre das rosas.

Ó Coimbra, onde o Mondego
Sussurra à noite em segredo
Histórias de amor que ouviu
Reveladas no Penedo.

Ó Coimbra inspiradora
Tu foste palco e cenário
De nomes grandes do fado
Entre os quais se encontra Hilário.

Ó Coimbra, um dia choraste
Profundamente, talvez
Triste na Quinta das Lágrimas
A morte, da linda Inês.

Ó Coimbra cheia de história
Que o tempo nunca apagou
Havendo ainda olvidadas
Histórias que ninguém contou.

Ó Coimbra dos monumentos
que viram séculos passar
Ai se essas pedras velhinhas
Histórias pudessem contar.

Ó Coimbra, para ti canto
Por seres tão nobre cidade
Este poema inspirado
No Penedo da Saudade !…

 

Euclides Cavaco