1/5

Caravela Quinhentista

Poema e voz de Euclides Cavaco

Altaneira caravela
Quando a fito vejo nela
Tantas glórias do passado
Vejo mar, vejo saudade
Vejo nela a afinidade
Dum marujo com o fado.

És filha dum marinheiro
Que te fez pra seres primeiro
Imponência universal
Navegando o imenso mar
E muito longe ires levar
O nome de Portugal.

Tuas velas são lições
Motivando gerações
P'la coragem desmedida
Dos heróis descobridores
Que por ti foram senhores
Dessa fama bem merecida.

Quinhentista caravela
No mundo sempre a mais bela
Foste do mar imperatriz
Com origem nas galés
Foste sempre e ainda és
Pedaço do meu País !…

Euclides Cavaco