Amora Ribeirinha

Poema de Euclides Cavaco

Minha Amora Ribeirinha
Tu és do Tejo a Rainha
Que se espraia ali ao lado
Teu aroma a maresia
Inspirou a melodia
Que canto neste meu fado.

Neste burgo singular
A história marcou lugar
E faz seu Povo feliz...
Ditosa sejas Amora
Por seres a mais bela Aurora
Das terras do meu País...

Teu povo é hospitaleiro
Sempre a sorrir e fagueiro
Transcendente em simpatia
Que em gesto de amizade
Abre as ruas da cidade
A todos com cortesia!...

Ó Amora amena e calma
Tanges as liras da alma
Quando ao Rio dás um beijo.
Tens fulgência merecida
Pelo garbo, amor e vida
Que emprestas ao rio Tejo!...

Euclides Cavaco